Espetáculo sobre o que é ser mãe estreia-se sexta-feira em Viseu

As várias camadas de uma mãe são mostradas sexta-feira no palco do Teatro Viriato, em Viseu, durante um espetáculo da companhia Mochos no Telhado que tem uma relação íntima com a vida de quem o criou.

“Mãe” é o nome do espetáculo que se estreia sexta-feira e também uma palavra repetida inúmeras vezes durante 90 minutos pelas atrizes Ana Vargas, Joana Gomes Martins e Sofia Moura.

As três foram mães recentemente e tiveram de dividir o tempo pela criação quer do espetáculo, quer dos seus bebés, “uma particularidade que modelou todo o processo desde o início e que fez com que elas se tivessem de se amparar e ser bastante unidas”, explicou aos jornalistas Dennis Xavier, diretor e fundador da Mochos no Telhado.

O processo “começou ativamente em julho, mas já antes tinha tido a sua fase de conceção e de pensamento”, referiu Sofia Moura, no final de um ensaio para a imprensa.

A atriz contou que a relação que tem com a sua mãe é forte e sempre a fez pensar sobre a questão do amor entre mãe e filhos.

“Sendo eu própria mãe isso tomou outra proporção e ganhou outra urgência. De repente, não estou só a ver de um lado, estou a ver dos dois, tenho a experiência dos dois lados”, sublinhou.

A criação foi avançando a par de muitas noites em branco, com o consequente cansaço e a mistura de emoções que muitas mães sentem no dia-a-dia. Esta realidade foi abordada durante o espetáculo, através da exibição de uma longa “bula” do “maior amor do mundo”, na qual estavam enumerados os muitos “efeitos secundários”.

Durante o processo de criação, foram entrevistadas cinquenta mulheres – de vários países, culturas e condições socioeconómicas – sobre o que é ser mãe e surgiram muitas repostas diferentes, tendo essa multiplicidade de experiências sido usada na dramaturgia.

“Há tantas respostas quantas o número de pessoas que se entrevistam. E mesmo cada pessoa se calhar tem várias respostas dentro de si, uma hoje, outra amanhã”, frisou Ana Vargas.

Sofia Moura referiu que surgiu o conceito de “uma coisa que se abre”, como uma cebola com as suas camadas: “tem o exterior, a imagem que tínhamos antes de sermos mães, depois se abrimos tem a camada das expectativas da sociedade, a camada de culpa que sentimos todos os dias, a camada da frustração”.

Quer a cenografia, quer os figurinos do espetáculo foram inspirados nesta ideia das camadas. A composição sonora, que é transversal a todo o espetáculo, é da autoria de Ana Bento, mãe de quatro filhos.

Partilhar
Autor
Notícias de Viseu
Notícias de Viseu
Notícias de Viseu é um órgão de informação regionalista, independente, livre de influências políticas, económicas, religiosas ou quaisquer outras, votado à prática de uma informação cuidada, verdadeira e objetiva.

Novidades

1
pexels-pixabay-47730
Quase 100 pessoas impedidas de entrar em recintos desportivos em 2024 – APCVD
2
CINFAES
Câmara de Cinfães atribui mais de 100 mil euros em 216 bolsas de estudo
3
Câmara Municipal de Mangualde
Antigo ministro e dirigente socialista Jorge Coelho homenageado a título póstumo em Mangualde
4
tondela
Santa Clara vence Tondela e consolida liderança da II Liga

Artigos relacionados

Acidente carro
santa comba dão
Viseu
urgências médico hospital
Entre em contacto

+351 232 087 050
*Chamada para rede fixa nacional

geral@noticiasdeviseu.com
publicidade@noticiasdeviseu.com

Avenida do Convento nº 1, Complexo Conventurispress, Orgens 3510-674 Viseu

Subscrever Newsletter
Fique por dentro das últimas novidades e conteúdo exclusivo.
Procurar
Últimas notícias
pexels-pixabay-47730
Quase 100 pessoas impedidas de entrar em recintos desportivos em 2024 – APCVD
Acidente carro
Colisão entre motociclo e veículo ligeiro em Viseu provoca uma vítima mortal
CINFAES
Câmara de Cinfães atribui mais de 100 mil euros em 216 bolsas de estudo
santa comba dão
Autarca de Santa Comba Dão considera que “há outras maneiras” de celebrar democracia