Instalação da Loja do Cidadão em Tondela

1042

Na conferência de imprensa de apresentação do programa das Comemorações do Dia do Município de Tondela, o presidente da Câmara Municipal de Tondela, José António Jesus, voltou a aludiu ao processo que levou à localização da Loja do Cidadão a Instalar em Tondela, porque “há circunstâncias que ganham uma perplexidade que em alguns momentos nos deve incomodar a todos”.

“Depois do Município de Tondela ter colocado, na sua Revisão Orçamental, o projeto intervenção no espaço que vai acolher a Loja do Cidadão, surgiram questões que estão a ser dinamizadas com um fim que todos percebemos, no intuito de criar ilusão nas pessoas de que há um ato de má gestão e isso, despoleta na opinião pública um conjunto de insinuações, que deverão ter a devida apreciação dos órgãos competentes”, referiu.

Sobre a tese do Partido Socialista, de que existiam várias opções na cidade para instalar a Loja do Cidadão, o presidente da Câmara Municipal de Tondela começou por abordar a suposta primeira opção, em que é dito que um dos espaços do Tribunal tinha área para isso.

Importa realçar que, há vários anos, a delegação local da Ordem dos Advogados vinham solicitando, bem como os próprios serviços, a criação de uma segunda sala de Juízo no Tribunal de Tondela.

Essa segunda sala foi criada, quer em Tondela, quer em Mangualde, pelos serviços competentes do Ministério da Justiça, que é o dono do edifício.

“Dizem por aí, nas redes sociais, que esta segunda sala foi criada para impedir a ida para lá da Loja do Cidadão e este absurdo tem de ser explicado e desmistificado, pois esta segunda sala de juízo era desejável face ao volume processual que existia em Tondela. E quando um autarca do PS diz que o juiz não é omnipresente e que não tem o dom  da ubiquidade para estar nos dois juízos, só há uma coisa a dizer: se a senhora Ministra já reabriu alguns tribunais, porque agora não tem a Troika, também pode fazer uma reforma deste processo, como já aconteceu em alguns sítios, trazendo serviços ou competências especializadas para este tribunal de Tondela é assim já tem grande utilização está segunda sala”, apontou.

Ainda sobre o espaço em causa no Tribunal de Tondela, o presidente da Câmara Municipal de Tondela informou que tem uma área de cerca de 300 metros quadrados.

“Então onde cabiam os 700 metros quadrados necessários para a instalação dos serviços a instalar na Loja do Cidadão? O que mais se condena é lançar-se lama, na esperança que isto cause danos em terceiros, sem se perceber o que se está a dizer e se se está a perceber ainda mais grave é”, disse.

Sobre a segunda hipótese do Mercado Velho, que tem uma área é de 227 metros quadrados, “os senhores do PS defenderiam que o edifício fosse destruído, a sua identidade fosse destruída, fazendo-se uma cave e mais outro piso em cima para chegar aos 700 metros quadrados.

Já a terceira opção passava pelo Espaço das Oficinas Criativas, no entanto, “alguém anda muito distraído, pois é lá que funciona a ASAE”.

A generalidade daqueles gabinetes estão todos ocupados com serviços da ASAE, que à data de hoje tem mais funcionários do que o Tribunal, aliás tem o dobro. A par da importância regional que tem, é um serviço que outros concelhos gostariam de ter pela importância estratégica que representa.

“A nave central é a oficina de artes criativas, desenvolvida em parceria coma ACERT. Fico triste que estas pessoas entendam que a ACERT são moscas, porque dizem que aquele espaço está destinado às moscas e isso é uma ofensa inqualificável. Em boa verdade, não há nenhum espaço dentro da cidade e próximo dos serviços que tenha 700 metros 2 disponível para a instalação da Loja do Cidadão”, concluiu, desafiando os socialistas a reconhecerem essa evidência.