Câmara de Viseu anuncia plano de apoio a famílias e empresas

297

O presidente da Câmara Municipal de Viseu anunciou hoje um plano com 32 medidas, a entrar em vigor até ao final do ano, para reduzir custos, taxas e impostos às famílias do concelho.

O programa Viseu Investe 2021, assenta em “três vertentes de ação”, disse António Almeida Henriques, explicitando: “Uma primeira para um Viseu solidário no contexto da crise social, um segundo pilar para relançar a atividade económica para manter os rendimentos e, um terceiro, atrair novos investimentos para aumentar o emprego”.

Estes são os pilares em que assentam 32 medidas que o executivo municipal vai votar na sua próxima reunião, na quinta-feira, e que “entrarão todas em vigor até ao final deste ano, sendo que algumas só se sentirão em 2021” como é o caso da derrama ou do IMI (imposto municipal sobre imóveis).

“Vamos isentar do pagamento total da derrama as microempresas e PME [Pequenas e Médias Empresas] no exercício económico de 2021 e vamos isentar o pequeno comércio do pagamento de espaço público”, anunciou o autarca.

“As esplanadas ficam com isenção total durante um ano e o meio ano seguinte será pago a 50%” do valor”. Como “medida futura, a ideia é que as esplanadas fiquem a pagar taxa por seis meses ao ano”, exemplificou.

Outra isenção que a autarquia vai votar é a do “pagamento de taxas e licenças as operações de reabilitação urbana inseridas na área de reabilitação urbana” (ARU), assim como as “taxas e licenças a reabilitação de imóveis nas freguesias rurais”.

O autarca destacou, por outro lado, o programa “Viseu 100% digital”, para que todo o concelho fique ligado à internet. Isto é, “todas as freguesias e escolas do concelho estarão ligadas por ‘wi-fi’ e por fibra ótica”, além de disporem de uma outra linha para “usar, por exemplo, contadores inteligentes”.

No que diz respeito a empresas, por exemplo, o comércio pode contar “até cinco mil euros de apoio” para novas lojas que venham a abrir na Rua Direita [centro histórico], e que deverão ser cerca de 40, e as que já estão implementadas e queiram modernizar o aspeto das lojas”

“Vamos aumentar a oferta de infraestruturas para acolhimento empresarial para a instalação de novas empresas e a ampliação de empresas já instaladas e, para isso, a autarquia vai disponibilizar a preços simbólicos hectares de terreno que tem” junto a algumas das zonas empresariais existentes no concelho, como é o caso de Mundão.

A convite de Almeida Henriques, participaram na sessão os presidentes da Associação Comercial de Viseu e da Associação Empresarial de Viseu (AIRV) e o vice-presidente da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP).

“Os nossos três convidados têm o simbolismo de que juntos vamos conseguir ultrapassar esta fase tão difícil, de que vamos conseguir manter o rumo e que estejamos na primeira linha para aproveitar o período pós pandemia, porque a seguir a uma crise há oportunidades e quem melhor estiver posicionado e organizado, melhor poderá aproveitar o futuro”, defendeu.