ACERT suspende atividade e encerra instalações até 13 de abril

200

A Associação Cultural e Recreativa de Tondela (ACERT) anunciou hoje que vai suspender as suas atividades e encerrar as instalações até 13 de abril, devido à Covid-19.

“Decidimos suspender toda a nossa atividade pública, programação do Novo Ciclo ACERT e digressão do Trigo Limpo Teatro ACERT e encerrar ao público as nossas instalações até ao dia 13 de abril”, refere, em comunicado.

A direção da ACERT garante estar “a trabalhar na reprogramação de toda a atividade conforme a evolução da situação” e disponibiliza-se para, “em permanente diálogo com as entidades responsáveis, prestar toda a colaboração que for necessária”.

Um dos eventos da ACERT que mais pessoas envolve, quer em termos de organização, quer de público, é a Queima e Rebentamento do Judas, que todos os anos se realiza na noite do sábado de Páscoa.

Este ano, o espetáculo de rua – que funde o teatro, a música, a dança e o fogo-de-artifício – iria realizar-se a 11 de abril, sendo previsível que, tal como aos outros anos, atraísse milhares de pessoas da região e de outros pontos de país.

Na semana antes, de 06 a 10 de abril, decorreria a Fábrica da Queima, com a participação de mais de 200 voluntários e artistas de várias áreas em oficinas de cenografia, música, interpretação e movimento.

O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou mais de 180 mil pessoas, das quais mais de 7.000 morreram.

Das pessoas infetadas em todo o mundo, mais de 75 mil recuperaram da doença.

O surto começou na China, em dezembro de 2019, e espalhou-se por mais de 145 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje número de casos confirmados de infeção para 448, mais 117 do que na segunda-feira, dia em que se registou a primeira morte no país.

Dos casos confirmados, 242 estão a recuperar em casa e 206 estão internados, 17 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).

O boletim divulgado pela DGS assinala 4.030 casos suspeitos até hoje, dos quais 323 aguardavam resultado laboratorial.

Das pessoas infetadas em Portugal, três recuperaram.