IL – Discriminação LGBT

956

O cabeça-de-lista à Assembleia Municipal de Viseu e membro da
Coordenação da Iniciativa Liberal Viseu condena veementemente os relatos
de agressões contra indivíduos LGBT na tarde da passada quinta-feira em
Viseu por parte de militantes afetos à candidatura do Chega às
autárquicas deste ano no concelho. A confirmar-se a informação conhecida
ao momento, trata-se de um episódio que, como qualquer outra agressão
física, nos merece a total repulsa, particularmente quando não provocada
e motivada por ódio a características intrínsecas da pessoa, como é a
sua orientação sexual.

Pedro Pereira, de 25 anos e médico no SNS refere que apesar de o quadro
legal nacional ser um exemplo europeu e mundial na proteção
constitucional e legal dos indivíduos LGBT, a discriminação na sociedade
ainda está presente e, por isso, as instituições e os partidos
democráticos, que se regem pela defesa da democracia liberal e da
igualdade de tratamento legal e social de todos, como o é a Iniciativa
Liberal, devem ser intransigentes na condenação da discriminação ainda
existente – nesta e noutras temáticas.

O candidato acrescenta que Viseu cresceu muito em população e dinâmica
social desde os episódios de milícias populares que perseguiam e
ameaçavam de morte a pessoas LGBT em 2005 e que mancharam o bom nome dos
viseenses por largos meses enquanto o então presidente de câmara
desvalorizava os eventos e prometia combate à suposta prostituição
homossexual no antigo IP5. Viseu tem que ser hoje uma cidade e um
concelho em que todos possam nascer, crescer e viver em plenitude,
liberdade e harmonia. Há espaço para todos, e o direito da igualdade
perante a lei e a sociedade é sagrado para os liberais.

Lembra ainda que as pessoas LGBT, como outras alvo de discriminação pela
etnia, cor de pele, nacionalidade, género e outras características
intrínsecas, estão sujeitas a um elevado risco de rejeição familiar e
social, assim como dificuldades acrescidas no acesso a cuidados de saúde
preparados para a gestão das suas particularidades ou oportunidades
laborais, criando uma perda de oportunidade de desenvolvimento pessoal
completo. O caminho do futuro é o que cria uma sociedade em que todos
tenham a oportunidade de crescer de acordo com a sua vontade, partindo
das mesmas oportunidades e trilhando o seu caminho próprio em liberdade.