Viseu reforça gestão local de crise para combater contágio comunitário

472

Câmara de Viseu anunciou que, atendendo “ao recente incremento do número de casos” de covid-19, vai reforçar a gestão local da crise para combater o contágio comunitário, em cooperação com as autoridades de saúde e policiais.

Em comunicado divulgado ao início da noite de ontem, a autarquia explica que o número de caso “ascende a 190, assumindo contornos de transmissão comunitária”, e, por isso, pretende “diminuir os riscos de exposição da sua população à doença” e acompanhar as medidas hoje anunciadas pelo Governo.

Neste âmbito, já a partir de sexta-feira, o município e a PSP vão fazer “um reforço das ações de fiscalização, acompanhamento e policiamento de zonas e atividades consideradas especialmente críticas, como sejam bares e respetivas esplanadas, no centro histórico e na sua envolvente”.

“Através de um plano concertado da PSP, Polícia Municipal e serviço municipal de fiscalização, procurar-se-á zelar pelo respeito e cumprimento dos limites horários estabelecidos e promover a disciplina de funcionamento à luz da legislação em vigor, no que respeita nomeadamente a consumo de bebidas alcoólicas e às áreas de esplanada”, explica.

Atendendo ao aumento de casos de contágio dos últimos dias, “explicado pelo incremento da mobilidade e interações sociais de famílias e jovens no contexto de férias e do verão”, o município decidiu também, “no respeito pelo princípio da prudência”, recalendarizar o evento Viseu Estrela à Mesa, que iria realizar-se de 11 a 13 e de 18 a 21 deste mês, na Praça da República.

A realização do Viseu Estrela à Mesa está prevista para abril/maio de 2021.

“Pese embora o plano de organização e segurança deste evento confira todas as garantias de proteção e distanciamento social, higienização e controlo de acessos e públicos, à semelhança do que sucede no cômputo geral do programa Cubo Mágico, considera o município dever emitir uma mensagem consistente de prevenção e alerta social, prescindindo de uma iniciativa popular não iniciada e apelando a uma consciência e civismo ativos da população”, justifica.

Dentro do mesmo “princípio preventivo de prudência”, e tendo em conta a “estreita morfologia da Rua Direita”, o município vai suprimir o bairro da restauração que aí estava instalado desde 21 de julho, no âmbito do Cubo Mágico.

“Mantém-se inalterada, como até aqui, sem qualquer supressão, a agenda cultural do Cubo Mágico até 21 de setembro e as operações económicas e comerciais em curso no Campo de Viriato, Parque Aquilino Ribeiro e Mercado 2 de Maio, assim como a iniciativa Vindimas nas Quintas”, acrescenta.

O município esclarece que o aumento de casos de covid-19 “não tem qualquer relação causal com as atividades culturais, de animação urbana ou de promoção económica” realizadas no âmbito do programa Cubo Mágico, que considera ser “seguro, prudente e responsável”, pelo que se manterá.