Viseu Dão Lafões Riders Challenge

241

A Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões deu por encerrada a primeira edição do Viseu Dão Lafões Riders Challenge, um desafio inovador que atraiu 183 atletas, oriundos de 5 países distintos (Canadá, Itália, Portugal, Espanha, Reino Unido).

 

Nesta prova, que decorreu entre 17 de outubro e 20 de dezembro de 2020, os participantes foram desafiados a percorrer as quatro Subidas Épicas | Viseu Dão Lafões, traçadas nas encostas das serras do Caramulo, Arada e Montemuro. Embora os componentes de superação e de descoberta fossem os condimentos principais deste evento, a vertente competitiva não foi esquecida por via do registo dos tempos obtidos em cada uma das quatro subidas.

 

No plano competitivo, foram validadas 273 subidas. Entre os 50 atletas que completaram as quatro subidas (finishers), Flávia Lopes, atleta da equipa Vasconha BTT Vouzela, foi a Vencedora Absoluta Feminina; Michel Machado, também da equipa Vasconha BTT Vouzela, foi o Vencedor Absoluto Masculino. Já a equipa Vasconha BTT Vouzela sagrou-se vencedora do “Finishers Board” e do “Climbers Board”.

 

Atendendo às restrições que vivemos, o Viseu Dão Lafões Riders Challenge assumiu-se como uma alternativa válida para a prática desportiva, permitindo a captação e o acolhimento de atletas, respeitando todas as diretivas associadas à situação sanitária atual.

 

De acordo com o Secretário Executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho: “Tendo em conta o número de participantes, as suas nacionalidades, bem como a diversidade dos distritos de origem dos atletas nacionais, consideramos que esta iniciativa foi um sucesso, tanto no plano desportivo como no âmbito da estratégia que a CIM Viseu Dão Lafões delineou, de promoção da região enquanto destino de excelência para turismo natureza e desportivo.”

 

Ainda de acordo com o Secretário Executivo: “O sucesso desta iniciativa, é um reflexo do potencial de atração que os recursos naturais da região, se devidamente explorados, exercem sobre os amantes de atividades ao ar livre. Cabe-nos a nós, não só, preservar estes recursos endógenos, mas também ser capazes de os apresentar ao mundo de uma forma sustentável, criando novas oportunidades de desenvolvimento regional. É este o trabalho que a CIM tem vindo a desenvolver.”

 

Este desafio contou com a parceria do Turismo Centro de Portugal, da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) e dos 4 Municípios envolvidos no projeto.

 

Os resultados finais podem ser consultados em: https://resultados.viseudaolafoes.stopandgo.net/