Projeto-piloto que premia separação de resíduos arranca hoje em Viseu

319

Um projeto-piloto que vai premiar as comunidades mais empenhadas na separação dos resíduos recicláveis arranca hoje, no Bairro de Santo Estêvão, em Viseu, com a entrega dos cartões que permitem usar as ilhas ecológicas de recolha seletiva.

Denominado RAYT (Receive-As-You-Throw), este projeto, que pretende aumentar a consciência ambiental e tornar o concelho de Viseu mais sustentável, irá abranger 600 habitações deste bairro.

Em conjunto com a Associação de Municípios da Região do Planalto Beirão (AMRPB), a Câmara começa na sexta-feira a entregar os cartões, que poderão ser usados imediatamente nas três ilhas ecológicas do Bairro de Santo Estêvão.

“Esta ação, a realizar porta-a-porta por uma agente devidamente identificada, contemplará a entrega dos cartões para uso nas ilhas ecológicas de recolha seletiva, bem como um conjunto de recursos informativos, nomeadamente um manual e folheto com a explicação do projeto, uma carta alusiva à proteção de dados e, ainda, míni-ecopontos”, explicou a autarquia.

Uma vez que se trata de um projeto-piloto, numa fase inicial, as tampas dos equipamentos ficarão abertas (ou seja, sem abertura e fecho mediante validação do cartão).

“Contudo, o munícipe deverá fazer-se acompanhar pelo cartão e validá-lo no equipamento sempre que faz a reciclagem dos seus resíduos”, para que o município e a AMRPB “possam verificar o correto funcionamento do sistema”, avisou.

Segundo a Câmara de Viseu, o RAYT é “um projeto inovador, que visa aumentar a separação dos resíduos recicláveis de papel, cartão, plástico, metal e vidro, e reduzir a quantidade de lixo indiferenciado que é depositado em aterro”.

Desta forma, está a ser dado um contributo para que, no futuro, “seja possível obter uma tarifa de resíduos mais justa para todos e garantir a sustentabilidade ambiental”, acrescentou.

Quanto mais resíduos recicláveis as famílias colocarem no contentor certo, mais probabilidades o seu bairro tem de conquistar um prémio.

A autarquia espera que, no futuro, este projeto possa integrar 420 contentores de recolha e abranger 27 mil munícipes.