I Liga / Tondela – Vitória de Guimarães

171

Declarações no final do encontro entre Tondela e Vitória de Guimarães, da sexta jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado ontem no Estádio João Cardoso, em Tondela, e que terminou com a vitória dos visitantes por 3-1:

– Natxo González (Treinador do Tondela): “Tivemos pela frente uma equipa superior, como se viu. No primeiro tempo foi difícil dar a volta ao marcador e é um pouco a leitura geral da partida

Quem sabe não estejamos preparados para jogar um frente a frente com um rival com estas características, que pressiona muito bem, é mais intenso, creio que nos falta ajustar para sermos mais intensos.

Faltou conexão no início da jogada, a fase de criação, creio que [o erro] não foi unicamente defensivo, foi um todo. Temos de melhorar a saída de bola e tentar evitar essas perdas. Eles [Vitória de Guimarães] provocaram muito bem essas perdas, é uma equipa muito poderosa.

Não [falamos de erros individuais]. Falamos sempre da equipa, é sempre à custa da equipa, não gosto da responsabilidade de jogadores. Quando ganhamos, ganhamos todos, quando perdemos, perdemos todos.

É uma lástima, porque tínhamos muita ambição neste jogo e muito obrigado a quem nunca deixa de nos apoiar.

Fizemos um segundo tempo interessante, não foi fácil depois de um marcador tão adverso, é daqueles em que podias ter perdido um pouco a cabeça a nível emocional, mas crescemos no segundo tempo e isso para mim, treinador, é importante.”

– Ivo Vieira (Treinador do Vitória de Guimarães): “Hoje entrámos forte, entrámos bem, fomos melhores, fizemos 30 minutos fantásticos, podíamos ter feito mais um ou dois golos, fomos nitidamente superiores contra uma equipa com bastante valia.

Na primeira fase de construção [o Tondela] sai muito bem a jogar, criou-nos alguns problemas, mas fomos muito consistentes naquilo que foi a abordagem ao jogo de forma meritória. Este resultado ajusta-se àquilo que as equipas fizeram e os atletas, por aquilo que trabalharam, de forma merecida, têm obviamente muito mérito naquilo que foi o resultado.

Não tenho ao certo quantas oportunidades de golo [o Vitória de Guimarães] teve na segunda parte, mas teve sobejamente cinco ou seis situações que poderia ter feito golo, também poderia ter sofrido, é uma realidade, contra uma equipa com qualidade.

É de louvar estas duas equipas, Tondela e Vitória, pelo futebol positivo e pela alegria ou a satisfação que deram hoje a quem esteve cá presente. Um futebol de ataque, de ambas as equipas, a quererem ganhar o jogo, a darem qualidade ao mesmo, ganhou o Vitória, porque fez mais golos e foi melhor, mas uma palavra também para o Tondela que pratica e desenvolve um futebol bastante positivo, mas o Vitória hoje foi mais forte e ganhou de forma justa.

Esse golo em cima do intervalo veio trazer uma tranquilidade e uma justiça também àquilo que estávamos a fazer dentro do jogo, porque sofremos, infelizmente, um golo de bola parada, mas trouxe, de forma natural, essa tranquilidade para a segunda parte.

Não acho que haja um cansaço excessivo quando se fala de dois jogos. Acho que um jogador consegue suportar dois a três jogos, se as coisas correrem bem, em termos anímicos e psicológicos”.

 

 

Lusa