Como escolher a melhor cama para crianças em crescimento

915

A escolha da cama dos seus filhos depende de muitos fatores, de ordem estética,
económica ou até da área do quarto. O fator que mais determina essa escolha é o momento
do desenvolvimento em que os filhos se encontram.
Com efeito, a fase de crescimento da criança define as características da sua alimentação,
do seu vestuário, dos seus brinquedos, sendo consensual que determine a escolha da
cama onde passará os seus períodos de descanso.
A qualidade do sono garante a energia necessária a um quotidiano exigente. Em
https://childrensbedshome.com/pt/ encontra as soluções mais adequadas a cada etapa do
desenvolvimento dos seus filhos e pode perceber quais as opções ajustadas a cada faixa
etária da infância.
Dos 0 aos 24 meses
A etapa mais pueril da primeira infância carece sempre de um berço durante os primeiros 3
a 4 meses de vida. Este poderá ser mantido no quarto dos pais, havendo inclusive soluções
facilitadoras do aleitamento materno durante a noite.
Após esta fase, é sensato fazer a transição para uma cama de grades suficientemente
elevadas para proporcionar toda a segurança ao bebé. No que às camas de grades diz
respeito, dispõe de diversas opções. Desde as camas simples, às que têm acoplados
pequenos armários de gavetas ou fraldário, havendo mesmo certas camas de grades que
podem ser transformadas em camas sem grades e ter o seu estrado rebaixado.
O sistema respiratório do bebé suscita a necessidade de escolher cuidadosamente o
colchão, que deverá ser transpirável, hipoalergénico e possuir propriedades anti ácaros, tal
como a almofada, que deverá ainda ser baixa e de material viscoelástico.
Até aos 6 anos
Ainda no decurso da primeira infância, mas já depois de adquiridas capacidades de
motricidade que permitam transpor as grades, é altura de transitar para uma cama. Assim, a
partir dos 24 meses, poderá fazer a mudança para uma cama de criança.
As camas de criança, ainda que de dimensões adequadas à estatura média nesta idade,
são peças de mobiliário de design muito eclético, havendo camas para todas as
sensibilidades estéticas. São camas de menores dimensões, comportando colchões com
tamanho médio de 140 cms. de comprimento por 70 cms. de largura.
Poderá optar por camas baixas, com grades discretas e também rebaixadas, ou camas
elevadas com espaços de arrumação por debaixo do colchão. Aparte estas características
funcionais, poderão ser camas específicas para meninos ou para meninas, com design que
respeite as especificidades dos interesses de cada criança.
Até à adolescência

Sendo certo que antes dos 6 anos é prematuro pensar em camas elevadas, a partir desta
idade dispõe de soluções que estimulam o imaginário das crianças e que tornam os seus
quartos em espaços onde genuinamente gostam de estar.
À opção de beliche de duas camas sobrepostas, acresce a opção de beliche com espaço
de estudo por baixo, podendo até ter um pequeno roupeiro embutido. Em alternativa, dispõe
ainda da opção de beliche de cama elevada com sofá rebatível na parte inferior.
Apesar de os beliches serem opções que possibilitam muitas opções de organização do
espaço do quarto dos seus filhos, não deixam de ser camas que exigem alguns cuidados
para a prevenção de acidentes, dos quais se enumeram os mais importantes:
• A montagem dos beliches deverá respeitar escrupulosamente as instruções do
fabricante;
• Os beliches deverão ter grades bilaterais na cama do andar superior;
• As grades não deverão espaços superiores a 8 cms. de modo a prevenir o
estrangulamento;
• O estrado da cama superior deverá estar em perfeitas condições;
• Deverá ensinar a criança a subir e descer da cama cuidadosamente.


TAG