Vouzela acolheu cerimónia de assinatura de acordos de cooperação para a instalação de 25 espaços coworking no Interior

513

Vouzela recebeu, no dia 30 de abril, no cineteatro João Ribeiro, a cerimónia de assinatura dos acordos de
cooperação para a instalação de espaços de teletrabalho/ coworking no Interior, uma rede criada pelo
Ministério da Coesão Territorial e pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social .
O estabelecimento destes espaços de coworking vai contribuir para a dinamização dos territórios do Interior,
facilitando a fixação e atração de pessoas e empresas, diminuindo a necessidade de deslocações e a
consequente pegada carbónica e melhorando a qualidade de vida das populações do Interior, ao promover a
conciliação entre vida profissional e familiar.
Na sessão marcaram presença a Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa; o Secretário de Estado
Adjunto, do Trabalho e da Formação Profissional, Miguel Cabrita; a Secretária de Estado da Valorização do
Interior, Isabel Ferreira; o vice-presidente do IEFP António Leite, o Vogal do Centro 2020 Jorge Brandão, os
presidentes das CIM e os presidentes de câmara que integram o projeto na zona centro.
Durante a cerimónia, foram celebrados acordos de cooperação para a instalação de espaços de teletrabalho
nos concelhos de Abrantes, Aguiar da Beira, Alvaiázere, Ansião, Carregal do Sal, Castelo Branco, Covilhã,
Figueira de Castelo Rodrigo, Fundão, Góis, Idanha-a-Nova, Mação, Oliveira do Hospital, Ourém, Penamacor,
Penela, Proença-a-Nova, Sátão, Santa Comba Dão, Sever do Vouga, Vila de Rei, Vila Nova da Barquinha e
Vouzela.
Rui Ladeira, presidente da Câmara Municipal de Vouzela, considera que esta iniciativa de criação de
espaços de teletrabalho/ coworking, “pelos diversos recantos do interior, pelos nossos concelhos, constitui
verdadeiras plataformas de dinamização dos nossos territórios, facilitando a fixação e atração de pessoas e
empresas”, disse.
Em Vouzela, o projeto será dinamizado pela C@adeia – Incubadora de Empresas de Vouzela, em
colaboração com a Associação Empresarial de Lafões. O espaço foi inaugurado em 2017 e segundo o
autarca “das empresas que passaram por esta incubadora, cerca de 14 tiveram e têm hoje sucessos muito
relevantes, algumas delas cresceram e instalaram-se nos nossos parques industriais e contribuem
objetivamente para a economia local e nacional, com postos de trabalho e volume de negócio considerável”,
concluiu.

Ana Abrunhosa, ministra da Coesão Territorial, agradeceu aos autarcas presentes pelo esforço que têm feito
na dinamização dos seus territórios, nomeadamente com a adesão a este projeto. A governante frisou que
esta rede de teletrabalho foi criada “prioritariamente para o interior” do país, com o objetivo de criar nos
territórios “locais de trabalho mais qualificados e de mais empresas inovadoras”.
Com o aumento do teletrabalho devido à pandemia, todos perceberam que “é possível trabalhar fora do
escritório”, com “mais conforto, mais calma, mais segurança e mais qualidade de vida” e “mais tempo para a
família”, sublinhou.
O governo português prevê a abertura, até ao final de junho deste ano, de 25 espaços na Região Centro e
cerca de 50 a nível nacional.