Testagem à COVID-19 no Município de Viseu contribui para validação de metodologia da U. Católica

426

Entre os primeiros 100 funcionários da autarquia testados através da saliva, apenas um deu positivo. SalivaTec avança com novos testes já esta semana

A experiência realizada a partir da parceria entre o Município de Viseu e a Universidade Católica Portuguesa, para a realização de rastreio da COVID-19 aos colaboradores da autarquia, foi bem-sucedida. Apenas uma pool apresentou carga viral, levando à testagem individual do grupo que a constituía – entre os 20 indivíduos, um testou positivo.

Tendo em conta os resultados, o laboratório SalivaTec avança esta semana com o processo de testagem aos restantes funcionários da autarquia viseense. “A métrica utilizada – divisão em pools de 20 indivíduos – foi validada nesta primeira experiência, pelo que a vamos manter nos testes a realizar”, adianta Marlene Barros, Diretora do Centro de Investigação Interdisciplinar em Saúde (CIIS) e responsável científica pelo Laboratório SalivaTec.

Face aos resultados e à análise favorável dos investigadores da Universidade Católica, iniciámos já esta semana a testagem aos restantes colaboradores do Município. O objetivo é realizar cerca de 100 a 120 testes por semana, começando por aqueles afetos a áreas com maior exposição e risco”, diz António Almeida Henriques, Presidente da Câmara Municipal de Viseu. Assim, nos próximos dias serão testados grupos que, diariamente, estão mais expostos, como a Polícia Municipal, os Bombeiros Sapadores, Limpeza Urbana ou Motoristas da autarquia.

Os investigadores do SalivaTec mostram-se muito satisfeitos com os resultados alcançados até esta fase. Com efeito, “o processo de testagem num ecossistema real, vai contribuir para validar informação científica, com vista à certificação da metodologia”, avança Marlene Barros. Para António Almeida Henriques, este é um objetivo fundamental: “Ao mesmo tempo que estamos a zelar pela segurança dos nossos colaboradores, o Município de Viseu poderá dar um contributo importante na certificação de uma metodologia inovadora desenvolvida no nosso concelho e que pode ser fundamental no combate à COVD-19 em todo o país”.

Recorde-se que os testes em questão utilizam a saliva como meio de rastreio não invasivo. O método desenvolvido pelo laboratório recorre a uma estratégia inovadora, adequada para a testagem ampla de populações. A metodologia baseia-se no teste de grupos de amostras (pool de 20 indivíduos), defendida pelo “European Centre for Disease Prevention and Control (ECDC), e foi desenvolvida no decorrer de um projeto financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

A parceria estabelecida entre o Município de Viseu e a Universidade Católica Portuguesa, permite a utilização, pela primeira vez em Portugal, desta metodologia num ecossistema real e junto de um universo alargado de indivíduos. A adoção deste método de rastreio, cujos primeiros resultados são muito promissores, poderá contribuir para a rápida identificação de possíveis focos de contágio em empresas e instituições, especialmente escolas, lares de idosos, associações desportivas, órgãos de gestão e de proteção civil, entre outras.