SÉRGIO GODINHO NO «SEXTAS DA LUA»

148

Sérgio Godinho conta já com quase 50 anos de canções, mas é também na escrita que encontra uma segunda paixão. O «Sextas da Lua» marcou o 22º aniversário da Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves, em Mangualde, com a apresentação do seu livro “Estocolmo”. O encontro contou com a presença de cerca de uma centena de pessoas e abriu com a atuação de Inês Coelho acompanhada por André Cardoso que interpretaram duas músicas de Sérgio Godinho, uma manifestação de admiração e carinho que Mangualde tem pela obra musical do artista.

Para além de Sérgio Godinho, a apresentação do livro foi moderada pela jornalista Irene Ferreira e contou ainda com a participação do Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Elísio Oliveira. Após uma conversa com o autor sobre este seu novo romance, um thriller cativante repleto de desejo e sexo, houve mais uma atuação da dupla Inês Coelho e André Cardoso.

Uma data que não podia deixar de ser celebrada e, por isso, ouviram-se os parabéns à Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves seguido do corte do bolo de aniversário e um brinde. O final da noite ficou reservado para a tradicional sessão de autógrafos e fotográfica com Sérgio Godinho.

 

SINOPSE “ESTOCOLMO”

Quando Vicente responde ao anúncio de um quarto para alugar, descobre que a senhoria é Diana Albuquerque, a célebre pivô do telejornal das oito. A estupefação inicial do estudante – assim que ela lhe abre a porta – rapidamente se transforma numa forte atração mútua. Diana tem o dobro da idade de Vicente, mas é bela, sensual e respira aquela serena autoridade que conquista o espectador mais renitente. Vicente muda-se para casa de Diana, ocupando o quarto no sótão; e Diana ocupa-lhe a cama. Mas não é apenas a mulher complexa e carente que depressa mostra ser; fazendo jus ao nome, Diana é também uma predadora. E, uma manhã, Vicente acorda para a estranha realidade de estar trancado no seu novo quarto. É vítima de sequestro, mas está apaixonado pela sua sequestradora. Finalmente, a entrada em cena da mãe de Diana – tão bela quanto a filha – vai mudar tudo.

SÉRGIO GODINHO

Sérgio Godinho nasceu no Porto e aí viveu até aos vinte anos, altura em que saiu de Portugal. Estudou Psicologia em Genève durante dois anos. Foi ator de teatro e começou a exercitar a escrita de canções nos finais dos anos 1960. É de 1971 o seu primeiro álbum, Os Sobreviventes, seguido de mais trinta até aos dias de hoje. Sérgio Godinho é um dos músicos portugueses mais influentes dos últimos quarenta e cinco anos. Sobre si próprio disse: «Não vivo se não criar, não crio se não viver. Essa balança incerta sempre foi a pedra de toque da minha vida.» O seu percurso espelha, precisamente, essa poderosa interação entre a vida e a arte. Voz polifónica, Sérgio Godinho levou frequentemente a sua escrita a outras paragens. Guiões de cinema (Kilas, o Mau da Fita), peças de teatro (Eu, Tu, Ele, Nós, Vós, Eles!), séries de televisão, histórias infantojuvenis (O Pequeno Livro dos Medos), poesia (O Sangue por Um Fio), crónicas (Caríssimas Quarenta Canções), entre vários exemplos. Estreou-se na ficção com Vidadupla, um conjunto de contos publicado em 2014, a que se seguiu o seu primeiro romance, Coração Mais Que Perfeito — e, agora, Estocolmo.