Paulo Pires, Rita Guerra, Diogo Branco e Vítor Norte entre os 2500 mototuristas que alinharam no 23.º Portugal de Lés-a-Lés

363

Incapazes de resistir ao chamamento da grande aventura, atores,
músicos, desportistas e outras personalidades marcaram presença na maior
festa do mototurismo nacional, alinhando no 23.º Portugal de Lés-a-Lés.
Uns pela primeira vez, outros com milhares de quilómetros de experiência,
partilharam a estrada com mais 2500 mototuristas que, durante três dias,
ligaram Chaves a Faro, com paragem em São Pedro do Sul e Abrantes.
Evento organizado pela Federação de Motociclismo de Portugal e que, pela
primeira vez, assumiu um formato temático, em redor da 3.ª maior estrada
do Mundo, a N2.
Uma caravana gigantesca de motociclistas unidos pela mesma
paixão, que inclui, sempre, nomes mais ou menos conhecidos do grande
público, incluindo desportistas como o ex-nadador Nuno Laurentino ou
Gonçalo Uva, o jogador de râguebi que se estreou a convite da BMW
Motorrad. A cumprir a primeira presença no evento que, desde 1999 une
dois pontos nos extremos do mapa nacional, através de estradas nacionais,
municipais e regionais, sem recurso a autoestradas, Itinerários Principais ou
Complementares, estiveram também os atores Paulo Pires, Diogo Branco e
Afonso Pimentel, bem como a vocalista dos Amor Electro, Marisa Liz,
Embaixadora da BMW Portugal.
Mais experientes nestas coisas de mototurismo – e do Lés-a-Lés em
particular – marcaram também presença a cantora Rita Guerra, motociclista
de todos os dias, o ator e modelo Alexandre da Silva, ou Vítor Norte. O
experiente ator que, ao fim de quase uma década de presenças na maior
maratona mototurística da Europa, venceu todas as dificuldades (técnicas)
sofridas na viagem até Chaves para levar a não menos experiente Yamaha
Virago 535 até ao final em Faro, sempre de sorriso aberto e disponível para
mais uma fotografia com centenas e centenas de fãs ao longo do caminho.

 

Foto : Paulo Pires