Paulo Catalino (PS) quer Carregal do Sal mais inclusivo e dinâmico

586

O candidato do Partido Socialista (PS) à Câmara Municipal de Carregal do Sal, Paulo Catalino, quer criar dinâmicas no concelho, torná-lo inclusivo, investir na saúde e educação e valorizar o território pelo património e natureza.

“O concelho tem boas acessibilidades, tem boas condições para dinamizar a indústria e outras áreas de negócio, precisamos é de um impulso novo. São precisas políticas direcionadas para a atração de investimento e para a fixação de jovens no concelho”, defendeu Paulo Catalino.

Uma dinamização económica que, no entender do candidato socialista, “têm de ser criadas no decorrer da próxima década em que há fundos do PRR” (Plano de Recuperação e Resiliência) para investir, “nomeadamente nos concelhos do interior” como Carregal do Sal.

“Existem três áreas que me parecem prioritárias: a saúde, que claramente precisa de melhores condições, porque as instalações estão obsoletas; a educação, que merece uma reforma estrutural e nestas duas áreas o PRR tem fundos; e o património natural onde temos de casar o concelho ao rio Dão e ao rio Mondego”, sustentou, em declarações à agência Lusa, o candidato, que é médico.

Paulo Catalino considerou que o município tem de “preservar alguns espaços da natureza, mas também tem de os desenvolver” e, a título de exemplo, referiu a Senhora da Ribeira, na freguesia de Parada, que tem “um espaço maravilhoso, mas está em bruto e é necessário fazer um parque interessante para que as famílias possam usufruir” dele.

“A área do turismo tem sido muito mal aproveitada. Carregal do Sal precisa de se saber vender melhor. Temos coisas fantásticas. Temos Aristides de Sousa Mendes, temos queijos, vinhos, enchidos, uma Anta da Orca, a segunda maior da Península Ibérica, e precisamos de saber vender melhor o que temos de bom”, acrescentou.

Projetos que o candidato quer desenvolver para “fixar as populações e atrair outras pessoas, de forma a que o concelho cresça e se desenvolva” e, para isso, também considerou que “só com a população existente não é possível aumentar o número de habitantes nos concelhos, sobretudo no interior”.

“Precisamos de nos abrir a pessoas de outras localidades. A primeira prioridade é fixar os nossos, mas precisamos de políticas de atratividade para os de fora, seja de outras zonas do país, como fora dele. Se não tivermos um concelho inclusivo não conseguimos vencer esta barreira da desertificação e isso é possível no interior”, disse.

Apesar de ser militante do PS “há algum tempo”, é a primeira vez que concorre como cabeça de lista à Câmara Municipal de Carregal do Sal que, não sendo a sua terra natal, é o concelho onde disse estar a construir casa e para onde foi morar assim que terminou a especialidade de medicina geral familiar.

Coordenador do centro de saúde de Carregal do Sal, Paulo Catalino, casado e pai de três filhos, é natural de Tabuaço, concelho a norte do distrito de Viseu, na região Douro Sul, e completa no dia 29 de agosto 49 anos.

Paulo Catalino concorre com o atual presidente da Câmara, Rogério Abrantes, que venceu o escrutínio de 2017 na lista do PS e agora candidata-se por um movimento de cidadãos independentes.

À liderança do município, nas eleições marcadas para 26 de setembro, concorrem também os candidatos Hermínio Marques (BE), Luís Fidalgo (PSD) e Fernando Alves (CDS-PP).

Em 2017, o PS conquistou três mandatos, com 47,95% dos votos, e o PSD dois, com 36,23%. O concelho tinha na altura 9.522 inscritos e votaram 55,71% dos eleitores, ou seja, 5.305 cidadãos.