Os Efeitos na Saúde ao Jogar Demasiado

278

Existe uma relação direta entre a saúde e todas as atividades que levamos a cabo em demasia. Muitas vezes nefastos, esses sinais tendem a surgir atempadamente e frequentemente ignorados. Podem ser pequenas dores ou a pontual sensação de mal-estar.

Jogar em demasia não é uma atividade isenta de riscos para a saúde. Como tal, deve seguir algumas regras simples de forma a garantir a sua sustentabilidade sem colocar a diversão do jogador em risco.

O autor Martim Nabeiro (descubra mais informação acerca do mesmo aqui) revela-nos alguns dos perigos para a saúde que afetam aqueles que têm dificuldade em parar de jogar.

 

Os Casinos Online e a Gestão Emocional

Desde logo reconhecer a importância de saber como e quando parar. Este é um problema que afeta uma parcela dos jogadores de casino online Portugal ao ignorarem as regras básicas de jogo responsável.

Ao deixar de jogar por diversão e passar a jogar com qualquer outro tipo de motivação, o jogador arrisca mais que a própria saúde e bem-estar mental. Num ponto extremo, poderá dar lugar a problemas familiares ou relacionados com o emprego.

Muitos destes problemas de adição são alvo de estudos internacionais relacionados com videojogos e saúde, os quais são felizmente monitorizados de perto pela legislação em redor do jogo no nosso país.

 

Aumento da Obesidade

Uma atividade que deixa pouco tempo (ou nenhum) para a atividade física regular pouco contribui para o bem-estar do jogador. Uma simples pesquisa online por videojogos e problemas de saúde resultará em inúmeros artigos científicos que ligam o excesso de tempo à frente de monitores e a obesidade.

Através de um aumento da ansiedade provocada por certo tipo de videojogos e a praticamente inexistente atividade física, o risco de obesidade aumenta drasticamente. Não é demais defender que os videojogos são benéficos quando usados em moderação.

 

Problemas Cardíacos

Associados à mesma ausência de atividade física surgem os problemas cardíacos. A incorreta manutenção do corpo com um estilo de vida equilibrado e muitas vezes associado a uma dieta desequilibrada leva a que muitos jogadores compulsivos sofram precocemente de problemas cardíacos.

É importante fazer pausas frequentes e prolongadas entre sessões de jogo de forma a manter o correto funcionamento do sistema cardíaco. De igual forma, espaçar cada vez mais o jogo vai dar-lhe um prazer acrescentado quando regressar à sua prática.

 

Problemas de Visão

A constante exposição em proximidade a ecrãs tem um efeito comprovadamente nefasto no globo ocular. Dado esta tende a ocorrer frequentemente em condições de pouca luz ambiente, os músculos em redor do olho são forçados a um nível de esforço maior.

A longo prazo, não é incomum surgirem problemas associados com estas más práticas que constam em alguns dos mais frequentes efeitos dos videojogos. De tal forma que conselhos para evitar estes malefícios estão muitas vezes patentes nas recomendações iniciais de jogo por parte das principais editoras.

 

Elevados Níveis de Ansiedade

Os efeitos físicos prendem-se nomeadamente com a baixa taxa de atividade física, com as fracas condicionantes ambientais ou com uma dieta incorreta devido à priorização do jogo.

No que toca a efeitos psicológicos, o mais comum revela-se através de elevados níveis de ansiedade. A ligação entre videojogos e problemas de saúde neste campo torna-se por demais óbvia quando o jogador tem dificuldade em desconectar. A interação social pode ficar comprometida e a normal participação em eventos quotidianos sofrer como efeito de um excesso de jogo.

Em suma, o jogador encontra no mundo virtual um nível de conforto que não consegue ou não deseja substituir por algo no mundo real. Chegados a este ponto, o ideal é consultar a ajuda disponível por entidades como o Instituto de Apoio ao Jogador de Portugal.

 

Estas consequências presentes em inúmeros artigos sobre os efeitos dos videojogos não escolhem idades ou perfis. Qualquer indivíduo pode estar sujeito a sofrer de um ou mais efeitos nefastos do excesso de jogo. Apesar da legislação e recomendações em vigor por parte de inúmeras entidades (incluindo a OMS), o jogador está em muito entregue à sua própria responsabilidade.

É, portanto, essencial saber reconhecer alguns dos sinais nefastos entre videojogos e saúde desde cedo de forma a minimizá-los. Sempre que alguma atividade deixar a esfera da diversão e impactar outras áreas da sua vida, deverá procurar ajuda.

A longa exposição a videojogos não é de todo saudável e tal como verificámos, poderá ter sérias consequências a nível físico e psicológico.


TAG