ORGANIZAÇÕES IBEROAMERICANAS LANÇAM MOVIMENTO CONTRA O IDADISMO

324

Uma videoconferência no dia 30 de abril, simultaneamente em 11 países de línguas portuguesa e espanhola, marcará o lançamento do movimento internacional #StopIdadismo. No evento será apresentado o site oficial da iniciativa (www.stopidadismo.pt) e lançada a campanha #VamosFalarDeIdadismo.

 

A live poderá ser seguida em Portugal a partir das 15h nas seguintes plataformas do movimento: Facebook (https://m.facebook.com/stopidadismo/) e YouTube (https://www.youtube.com/channel/UC11OINgga9WcSzw3QUPaTag).

 

A cerimônia virtual terá a presença do médico gerontólogo e epidemiologista Alexandre Kalache, consultor das Nações Unidas para questões do envelhecimento e uma das principais referências no tema.

 

O programa contará também com a participação de José Carreira, representante do Movimento #StopIdadismo; Laura Cañete (ASISPA, da Espanha); António Ferrari (assessor de Comunicação da ONU para Portugal) e Rosa Monteiro (Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade de Portugal). A moderação será de Ana Carrilho, jornalista da Rádio Renascença, de Portugal.

 

O movimento atende a um apelo da Organização Mundial da Saúde (OMS) por ações que combatam o chamado idadismo, comportamento que ficou ainda mais evidenciado na pandemia de Covid-19. De acordo com relatório lançado pela OMS e outras agências da Organização das Nações Unidas (ONU), no dia 18 de março de 2021, uma em duas pessoas discrimina idosos, com atitudes que agravam a sua saúde física e mental e reduzem a sua qualidade de vida.

 

Organizado com base numa pesquisa realizada com 83 mil pessoas em 57 países, o “Relatório Global sobre Preconceito de Idade” apontou que “a discriminação por idade se infiltra em muitas instituições e setores da sociedade, incluindo aqueles que fornecem assistência médica e social, no local de trabalho, nos media e no sistema jurídico”.

 

O documento nota que as respostas para controlar a pandemia de Covid-19 revelaram o quão generalizada é a discriminação por idade, na medida em que as pessoas mais jovens e idosas foram estereotipadas no discurso público e nas redes sociais.

 

Ações e objetivos

 

Em linha com a OMS, um conjunto de organizações sociais e meios de comunicação de países iberoamericanos estruturou e lançará oficialmente no dia 30 de abril de 2021 o movimento global #StopIdadismo.

 

Iniciado na Espanha, por ASISPA,  o movimento rapidamente recebeu apoios em Portugal, das Obras Sociais Viseu e Together International Portugal, (além das adesões de ANIES, Magestil, Miss Viseu, Revista AmoViseu, Revista Bica, Revista Envelhecer e RSDHEAS Portugal e Brasil.

 

A campanha acabou por cruzar o Atlântico com as parcerias no Brasil do Portal LongeviNews, Aptare 360, 50 Mais Aprendiz Digital, Jornal da 3ª Idade, Página 2 e Vidas Idosas Importam.

 

A iniciativa também conta com apoios na Argentina, Chile, Colômbia, Cuba, El Salvador, México (Universidad Autónoma de Querétaro), Panamá e Venezuela.

 

O objetivo central do movimento #StopIdadismo é produzir e difundir informações, reflexões, dados atualizados e outros elementos que contribuam para ações organizadas de enfrentamento ao idadismo.

 

A primeira ação global acontecerá no próximo dia 30 de abril, através de uma videoconferência que será registada no site da OMS, na qual o movimento lançará a campanha #VamosFalarDeIdadismo.

 

A proposta da campanha é recolher testemunhos sobre uma das causas de marginalização mais comuns no mundo: a discriminação em função da idade. Reunir, compartilhar depoimentos e sensibilizar as pessoas são as melhores estratégias para pôr termo a esse tipo de preconceito e construir uma comunidade para todas as idades.

 

Como participar

 

Para participar, basta gravar com um telemóvel um vídeo de curta duração, preferencialmente com o ecrã na horizontal, respondendo no seu depoimento a três perguntas: 1. Alguma vez foi discriminado pela idade? 2. Que razões podem motivar essa discriminação? 3. Como podemos combater o idadismo?

 

Os vídeos e outras manifestações de apoio devem ser encaminhados para o endereço info@stopidadismo.pt e serão publicados no site próprio do movimento (www.stopidadismo.pt). Podem também ser compartilhadas nas redes sociais com as hashtags #StopIdadismo #VamosFalarDeIdadismo #VamosHablarDeIdadismo #AWorld4AllAges #StopEdadismo #UmMundoParaTodasAsIdades