Obras na linha da Beira Alta obriga a corte de trânsito no IP3 em Santa Comba Dão

2689

O Itinerário Principal 3 (IP3) estará cortado ao trânsito entre 10 e 13 de janeiro e, depois, condicionado por um período de sete meses, na zona de Santa Comba Dão, anunciou hoje as Infraestruturas de Portugal (IP).

“A Infraestruturas de Portugal informa que, por forma a permitir a execução dos trabalhos de substituição do viaduto ferroviário sobre o IP3 (Km 83,8), em Santa Comba Dão, será necessário proceder ao condicionamento do trânsito no IP3”, refere uma nota de imprensa.

No documento, a que a agência Lusa teve acesso, a IP refere que “a intervenção é desenvolvida no âmbito da empreitada de modernização do troço da Linha da Beira Alta entre Santa Comba Dão e Mangualde atualmente em curso”.

“Por forma a permitir a boa execução da obra e garantir a segurança dos trabalhadores e dos utilizadores da via, entre as 07:00 do dia 10 de janeiro e as 07:00 do dia 13 de janeiro, o trânsito será interrompido” na zona, especifica.

O corte situa-se entre o nó de acesso ao IC12 (Km 82) e o nó de Tondela (Km 101) e, neste sentido, a IP esclarece que, neste período “o trânsito será desviado pelo IC12 e a EN230”, ou seja, por Carregal do Sal.

“O percurso alternativo estará devidamente sinalizado em toda a sua extensão”, sublinha a IP.

A partir do dia 13 de janeiro, continua a nota de imprensa, “a circulação naquele local ficará condicionada a uma via em cada sentido, durante um período estimado de sete meses”.

A empresa pede “a melhor compreensão” aos utilizadores e justifica que “é imprescindível para garantir a execução dos trabalhos de modernização da infraestrutura ferroviária e a segurança dos utilizadores do IP3”.

O presidente da Câmara Municipal de Viseu, Fernando Ruas, disse hoje aos jornalistas que lhe tinha chegado a informação na manhã de hoje, por parte da IP, e aproveitou para manifestar a sua “preocupação” em relação à ligação a Coimbra.

“Hoje mesmo fomos informados que vai haver problemas no IP3, por causa da linha da Beira Alta, isto diz bem da nossa preocupação em relação à nossa ligação a Coimbra. (…) É um problema mais a juntar aos outros”, reagiu.

Quanto ao tempo durante o qual estará o trânsito condicionado, Fernando Ruas considerou, irónico, que o IP3 “já é uma via tão rápida que se houver um ligeiro atraso, não há problema nenhum”.

Neste sentido lembrou que “é uma injustiça” o Governo dizer que faz um “grande investimento no distrito” de Viseu, no que diz respeito à linha ferroviária, “quando na realidade “só afeta cinco concelhos”, dos 24.

Mortágua, Santa Comba Dão, Carregal do Sal, Nelas e Mangualde e, “se for na CIM [Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões], são quatro, porque Mortágua pertence à CIM Coimbra”.