Museu recebe doação de Carta de D. João Camelo de Madureira, bispo de Lamego, datada de 1506

509

Uma carta de 15 de janeiro de 1506, assinada em Trevões, pelo bispo de Lamego D. João Camelo de Madureira (1502-1513) é o único documento conhecido, que conserva a marca sigilar deste prelado, célebre por ter sido o responsável pela encomenda do retábulo do altar-mor da Sé de Lamego ao pintor Vasco Fernandes (Grão Vasco), por contrato de 7 de maio do mesmo.
Adquirida em leilão, por João Pedro de Oliveira Santos, em janeiro de 2020, vai ser doada ao Museu de Lamego, em cerimónia, com transmissão online, agendada para fevereiro.
A identificação do selo apenso ao documento, com a figura do bispo-mecenas que inaugurou a renovação da catedral de Lamego, no século XVI, para além do importante contributo para o estudo da sigilografia episcopal portuguesa da época moderna, vem complementar a informação relativa às armas de D. João Camelo de Madureira, as quais apenas se conheciam numa versão simplificada, reproduzida justamente no grandioso retábulo da catedral lamecense, no painel da “Circuncisão”, que se conserva no Museu de Lamego.
De sublinhar que, pela primeira vez, na história das doações realizadas ao museu, em simultâneo com a cerimónia de entrega do manuscrito, será disponibilizada uma edição especial da revista digital INventaMUSEU, reunindo os artigos sobre o estudo de contextualização e análise do documento, da autoria dos historiadores, Maria João Borges de Pinho, Maria do Rosário Morujão e Nuno Resende, realizados por iniciativa exemplar do doador, João Pedro de Oliveira Santos, motivado, é certo, por razões filantrópicas no que respeita à preservação do património, mas também pela vontade de produção do conhecimento e uma maior democratização no acesso à cultura.