Impacto da covid-19 nos doentes oncológicos e cuidadores

230

O Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC.NRC), no âmbito do estudo nacional de avaliação da perceção do impacto social, económico e psicológico da pandemia COVID-19 nos doentes oncológicos/sobreviventes de cancro e em familiares/cuidadores, vem salientar a necessidade evidenciada de se reforçarem os programas de apoio ao doente e, particularmente, aos cuidadores, pelo menos durante períodos de pandemia.

Nesse sentido, e procurando colmatar as grandes lacunas na disponibilização de apoio psicológico especializado em Portugal, a Liga Portuguesa Contra o Cancro empreendeu, a partir de 2009, e com o apoio da AMGEN Foundation, a criação de Unidades de Psico-Oncologia, a nível nacional. No balanço que agora faz, o Núcleo Regional do Cento disponibilizou um nº total de 7228 consultas (desde 2009), a 1421 utentes (59% doentes oncológicos e 41% familiares/cuidadores).

Mas o estudo COVID-19 e Cancro, realizado a mais de 900 doentes oncológicos/sobreviventes de cancro e a mais de 300 familiares/cuidadores, residentes em Portugal, revela, outros dados, tais como: 1 em cada 10 doentes e cuidadores sentiu bastante a muitíssima dificuldade em pagar as despesas familiares durante a pandemia COVID-19, indicador que demonstra o relevante impacto socioeconómico da pandemia nestes doentes.

Revela, também, que 72% dos doentes e 76% dos cuidadores sentem-se bastante a muitíssimo preocupados com a pandemia, sobretudo com o impacto desta na continuidade do tratamento e evolução da doença. Conclui-se também que 1 em cada 2 doentes apresentou sofrimento emocional significativo.

De acordo com os mesmos dados, é possível entender que se encontram em maior risco de desenvolver problemas psicológicos os doentes com outra(s) doença(s) crónica(s), que cuidam de alguém com doença crónica, que tiveram tratamentos suspensos e que se percecionam em maior risco de contrair a infeção e/ou sofrer complicações. De salientar que 30% doentes oncológicos e 42% cuidadores manifesta ansiedade significativa e que 18% doentes oncológicos e 22% cuidadores manifesta depressão significativa.

Os dados mostraram, relativamente à acessibilidade aos cuidados de saúde durante a pandemia, que esta pode ser conseguida através de uma prestação de cuidados centrados no doente, disponibilização de informação à população oncológica e testagem e vacinação.

 

Metodologia do estudo: 

Estudo transversal, descritivo e inferencial, suportado por uma metodologia quantitativa. A informação foi recolhida através de um questionário elaborado pela equipa de psicólogos da Liga Portuguesa Contra o Cancro. As respostas a este questionário foram obtidas através do website institucional, www.ligacontracancro.pt, tendo sido cumpridos todos os pressupostos de proteção de dados. O questionário esteve disponível online entre os dias 2 de julho e 18 de novembro de 2020. A amostra foi constituída por 948 doentes oncológicos/sobreviventes de cancro e por 378 familiares/cuidadores, com mais de 18 anos e residentes em Portugal.