GNR reforça o patrulhamento para a prevenção de incêndios rurais

430

A Guarda Nacional Republicana, face ao agravamento do risco de ocorrência incêndios rurais previsto para os próximos dias, irá reforçar o patrulhamento e vigilância terrestre em todo o Território Nacional, em coordenação com as demais entidades, no intuito de prevenir a ocorrência de ignições.
A grande maioria dos incêndios registados no último ano teve origem na realização de queimadas e queimas de sobrantes de exploração, pelo que se torna necessário sensibilizar os cidadãos sobre os devidos cuidados a ter neste tipo de ações.
A GNR alerta que é proibido fazer queimadas extensivas, sem autorização e sem acompanhamento de um técnico credenciado em fogo controlado, operacional de queima ou equipas de sapadores ou bombeiros, situação que é considerada “uso intencional de fogo” e está sujeita a coimas. Também para se proceder à queima de matos cortados e amontoadas e qualquer tipo de sobrantes de exploração florestal e agrícola é exigida uma comunicação prévia à câmara municipal ou à junta de freguesia.
O uso do fogo exige atenção às condições meteorológicas, pelo que a GNR aconselha:
· Não queime com tempo quente e seco ou com vento;
· Escolha dias nublados e húmidos;
· Leve sempre consigo o telemóvel para dar o alerta em caso de incêndio;
· Faça a queima acompanhado.
Por força das circunstâncias meteorológicas, a GNR irá adotar medidas e ações especiais de prevenção de incêndios rurais, sensibilizando a população para os cuidados a adotar na realização de queimadas e queimas de sobrantes de explorações agrícolas e florestais e de outras ações de gestão de combustível. A Guarda disponibiliza ainda um serviço de atendimento telefónico SOS ambiente e território – 808 200 520, disponível 24 horas por dia, durante todo o ano, através do qual poderão ser expostas situações e colocadas dúvidas.
Nos espaços florestais e agrícolas, para além de alertar para o cuidado a ter na execução de queimas e queimadas, a GNR reitera os seguintes conselhos à população:
· Evite fumar, fazer lume ou fogueiras;
· Evite fumigar ou desinfestar apiários, a não ser com uso de fumigadores equipados com dispositivos de retenção de faúlhas;
· Utilize tratores, máquinas e veículos pesados de transporte que possuam extintor, sistema de retenção de faúlhas ou faíscas e tapa-chamas nos tubos de escape ou chaminés;
· Em caso de incêndio, ligue de imediato para o 112, transmitindo de forma sucinta e precisa a localização, a dimensão estimada e a forma de acesso mais rápida ao local.
Se notar a presença de pessoas com comportamentos de risco, contacte de imediato as autoridades.
A proteção da nossa floresta e de todo o meio ambiente depende de todos nós, sendo decisivo o papel de cada cidadão. Colabore para um Portugal sem fogos.