“CULTURA ENTRE PONTES”: UM PROJETO QUE INOVA E UNE

Acaba de ser lançada uma ação inédita entre os Municípios de Sever do Vouga, Oliveira
de Frades, São Pedro do Sul e Vouzela no propósito de se unirem numa verdadeira rede
cultural, histórica e social, para o desenvolvimento de novas iniciativas artísticas e
culturais. Chama-se “Cultura Entre Pontes” e visa capacitar não só as associações
culturais e artísticas destes Municípios, mas também fortalecer ‘novas’ pontes de
contacto e colaboração futuras. O trabalho com as associações culturais e com a
comunidade é o âmago do projeto. No canto polifónico serão criados grupos de canto
locais nos territórios, criadas nova cantadas e promovidos espetáculos com a participação
dos grupos locais. Já no teatro serão criadas visitas encenadas em locais de elevado valor
patrimonial para visitação e promoção dos territórios, em articulação com associações
culturais. Mas há muito mais, desde uma mostra sobre o emblemático canto polifónico,
um roteiro turístico e cultural pelos 4 municípios com recurso a vídeo mapping e até uma
mítica caderneta de cromos.
O projeto “Cultura Entre Pontes” tem um propósito claro de, não só juntar o melhor da
cultura e da força das comunidades dos Municípios de Sever do Vouga, Oliveira de Frades,
São Pedro do Sul e Vouzela, mas também de capacitar as associações locais para que
garantam a continuidade de novas propostas artísticas e culturais que congreguem a
valorização do património material e imaterial locais.
Esta rede supramunicipal (que une Municípios de duas sub-regiões diferentes – Viseu Dão
Lafões e a de Aveiro) pretende que as entidades envolvidas passem a ganhar escala e
partilhem uma visão comum na superação dos desafios de captação de novos públicos e
visitantes, que são tão importantes para reverter as quebras das dinâmicas económicas
e culturais provocadas pela pandemia de Covid-19.
“Cultura Entre Pontes” é, assim, um projeto agregador que fala de proximidade, de
ligação, de união. Foram aliás estas premissas que levaram a erigir esta pioneira rede
cultural, com base no desenvolvimento de um programa de ação inovador, integrador e
de “amor sincero ao povo”, utilizando a expressão de Michel Giacometti, reconhecido
etnomusicólogo francês que desenvolveu no território um trabalho único na preservação
e valorização do património imaterial associado ao canto polifónico.
O Projeto “Cultura Entre Redes” agora lançado, tem assente duas Ações cimeiras.

2
Novas polifonias: Um novo percurso pelas pontes do Canto Polifónico Tradicional
Esta ação irá juntar as diferentes gerações e partilhar as canções do antigamente com as
‘roupagens’ dos novos tempos. Mais do que uma iniciativa artística, patrimonial, cultural
e turística, esta é também uma iniciativa social. Pretende-se incentivar e integrar os
jovens na identidade e no contexto artístico e cultural dos territórios, ao mesmo tempo
que se valoriza a troca de experiências com a população mais idosa e se contribui para a
evolução dos grupos tradicionais, para a promoção e empoderamento das mulheres, que
das suas vozes se tornam nas grandes guardiãs da nossa herança coletiva.
• Oficina Canto Polifónico Feminino
A oficina “Canto Polifónico Feminino” tem como objetivo reinterpretar o cancioneiro
tradicional do território articulado com as novas sonoridades e formas de apresentação.
Consiste no ensino e disseminação da prática do canto a 3 vozes junto da população mais
jovem que, na sua maioria, não a detém. Para isso, serão recuperadas e transcritas para
pauta, 10 destas cantadas a partir do património musical polifónico dos 4 Municípios.
Em termos práticos, em cada Município será constituído um grupo de 10 mulheres locais,
com ou sem experiência prévia, 70% das participantes devem ser jovens. Este aspeto é
determinante considerando o envelhecimento associado às detentoras desta tradição, e
consequente necessidade de renovação da geração de praticantes.
O ponto de partida será uma call pública lançada à comunidade com o objetivo de
encontrar cantoras. A seleção será da responsabilidade do diretor artístico Paulo Pereira
e, em cada Município, as oficinas serão dinamizadas por uma cantora profissional. Assim,
em Sever do Vouga a responsável é Carmina Repas Gonçalves, em Vouzela é Joana
Negrão, em Oliveira de Frades é Celina da Piedade, e em São Pedro do Sul é Teresa
Campos.
As oficinas devem acontecer entre maio e agosto de 2021, uma vez que os espetáculos
estão calendarizados para as seguintes datas: 21 de agosto em Sever do Vouga, 22 de
agosto em Vouzela, 11 de setembro em Oliveira de Frades e 12 de setembro em São
Pedro do Sul.
Aos espetáculos juntam-se duas associações locais de cada Município. Cada uma, com
base no património recolhido por Giacometti, vão apresentar cerca de 3 cantadas. Os
espaços de apresentação escolhidos são ao ar livre e de elevado valor patrimonial, desde
moinhos, pelourinhos, eiras, dolmens, museus, parques, igrejas, bibliotecas ou torres
medievais.

3

• Oficina As Pontes Entre Nós
Será um espaço de partilha que irá juntar pessoas com conhecimentos musicais para a
criação de 8 novas criações do património polifónico para, posteriormente, serem
apresentadas ao público. As novas cantadas, compostas por 4 músicos profissionais
(Vasco Ribeiro Casais, TóZé Bexiga, Joaquim Branco e Paulo Pereira), serão inspiradas nas
técnicas tradicionais e criadas com a liberdade criativa de cada músico (cada músico irá
compor 2 cantadas). Relativamente à letra, esta deve espelhar a temática das pontes que
unem aldeias, Municípios e povos, e ter por base poemas de poetisas portuguesas (como
Natália Correia, Florbela Espanca, Sophia de Mello Breyner, Maria Teresa Horta, etc.). Em
cada Município, as oficinas serão dinamizadas por uma cantora profissional, sendo que
em Sever do Vouga a responsável é Carmina Repas Gonçalves, em Vouzela é Joana
Negrão, em Oliveira de Frades é Celina da Piedade, e em São Pedro do Sul é Teresa
Campos.
As oficinas e os espetáculos irão acontecer em 2022, em data a definir.

• Exposição “O canto polifónico: um percurso pelas pontes entre o tradicional e o
contemporâneo”
Esta exposição fotográfica temporária estará devidamente interligada com os
espetáculos realizados nas iniciativas anteriores. A mostra será composta pelo espólio
fotográfico de Michel Giacometti presente nos Museus de Cascais e Setúbal e também
do etnomusicólogo Armando Leça. Adicionalmente será realizada uma recolha durante
as oficinas “As Pontes Entre Nós” e “Canto Polifónico Feminino” de forma a existir uma
conjugação entre o tradicional e o contemporâneo: essência e identidade desta ação.

Às voltas pelas pontes da nossa história
• Visitas Encenadas “Às voltas com a História”
Palmilhar os concelhos de Sever do Vouga, Oliveira de Frades, São Pedro do Sul e Vouzela
é perder-se por paisagens únicas. Esta ação vai levar os visitantes à descoberta da
história, estórias e nas vivências ancestrais da comunidade. As associações culturais do
território vão criar um total de 32 visitas encenadas originais. A criação artística terá
como base um roteiro turístico-cultural que agregue locais dos 4 concelhos. As
associações teatrais locais serão capacitadas, por forma a terem o know-how para
dinamização de visitas encenadas.
Por forma a promover a itinerância dos visitantes, este roteiro irá assim agregar todos os
pontos, onde o megalitismo e o património industrial (mineiro, ferroviário, etc.) estarão
presentes, criando uma história e um percurso com milhares de anos e que permite a

4
quem o experienciar, conhecer o legado deixado pelos nossos antepassados desde o
neolítico (5.000 anos AC) até aos dias de hoje.

• Património com Vida
Esta iniciativa prevê ainda a exibição do roteiro turístico-cultural “Às voltas com a
História”, com recurso a técnicas de video mapping.

• Caderneta “Às voltas com a História”
Às voltas com a história é mais uma das iniciativas do projeto que quer criar uma
caderneta de cromos. Esta iniciativa pretende de forma original e dinâmica aproximar o
património dos visitantes, indo ao encontro da essência do projeto que passa por criar
pontes entre o tradicional e o contemporâneo.
A mítica caderneta de cromos pretende assim influenciar a comunidade e o público, em
especial famílias com filhos em idade escolar, a visitar e a conhecer a história milenar do
património do território da Rede Cultura Entre Pontes. Por cada visita a um equipamento,
museu ou património municipal será atribuído um selo. O objetivo será chegar ao fim da
caderneta e, consequentemente, incentivar cada ‘explorador/visitante’ a visitar o
património cultura.
Cultura Entre Pontes é um projeto cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 União
Europeia através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Partilhar
Autor
Picture of Notícias de Viseu
Notícias de Viseu
Notícias de Viseu é um órgão de informação regionalista, independente, livre de influências políticas, económicas, religiosas ou quaisquer outras, votado à prática de uma informação cuidada, verdadeira e objetiva.

Novidades

1
Académico_de_Viseu
Rui Ferreira é o novo treinador do Académico de Viseu
2
Rossio Viseu
Prejuízo de 1,5 ME nos transportes públicos leva Câmara de Viseu a abrir concurso
3
espetáculo teatro
Boneca com inteligência artificial promove reflexão sobre abuso sexual em Viseu
4
pexels-boom-12585940
Jornalistas desportivos distinguem Carlos Lopes por mérito internacional

Artigos relacionados

Visita e protocolo Recreio 1
bottle-2032980_1280
thomas-thompson-KEWVZAwkLxQ-unsplash
Prémio Heathy 3
Entre em contacto

+351 232 087 050
*Chamada para rede fixa nacional

geral@noticiasdeviseu.com
publicidade@noticiasdeviseu.com

Avenida do Convento nº 1, Complexo Conventurispress, Orgens 3510-674 Viseu

Subscrever Newsletter
Procurar
Últimas notícias
Visita e protocolo Recreio 1
Câmara de Tondela apoia obras em edifício que acolherá creche no Caramulo
bottle-2032980_1280
Município de Lamego melhora desempenho das estações de tratamento de água
thomas-thompson-KEWVZAwkLxQ-unsplash
Associação do Dão lança projeto turístico que permite experiências rurais
Académico_de_Viseu
Rui Ferreira é o novo treinador do Académico de Viseu