Cavalhadas com carros alegóricos estão de regresso às ruas de Viseu

1787

As Cavalhadas de Teivas e as de Vildemoinhos estão de regresso a Viseu, com menor número de carros alegóricos, dado o aumento dos preços dos materiais, e as marchas populares voltam com cerca de 700 participantes, anunciaram hoje as organizações.

“Em Vildemoinhos, as pessoas estão ávidas de festas, todos nós, mas não significa ávidos de números. Vamos trazer o cortejo, em carros, em menor número do que em 2019, porque não foi permitido, tendo em conta o preço dos materiais que está muito inflacionado”, assumiu a responsável pela comunicação da comissão de festas.

Anabela Abreu, que falava em conferência de imprensa organizada pela Câmara Municipal de Viseu para apresentar as festas de junho, explicou ainda que, “ao nível de pessoas, as cavalhadas abrangem muitos mais participantes no cortejo” do dia 24.

Do lado das Cavalhadas de Teivas, que acontecem sempre na tarde do domingo que antecede o Dia de São João, este ano em 19, a responsável, Sandra Santos, corroborou com as palavras, assumindo que “vai ser um bocadinho mais reduzido” o número de carros alegóricos.

E se, ao longo dos dois anos de pandemia, os cortejos não saíram à rua nas suas formas tradicionais, Teivas, que vai na 369.ª edição, expôs um carro alegórico no Rossio, fez-se representar com um par da Dança da Morgadinha e fez o “maior vestido do mundo da Morgadinha”.

Já do lado de Vildemoinhos, que celebra a 370.ª edição “de forma ininterrupta”, cumpriu-se a promessa com os cavalos e a charrete a irem dar a volta à capela de São João da Carreira, num percurso transmitido ‘online’ nas redes sociais das cavalhadas.

Na localidade de Vildemoinhos, as festas de São João começam na quinta-feira e terminam em 26, para que “haja tempo de toda a gente ter oportunidade de ir petiscar as sardinhas e o caldo verde e divertir-se de forma segura”.

“No dia 23, há a tradicional queima do pinheiro no nosso pequeno largo, onde cabe toda a gente. No dia 26, terminam as festividades, com a Banda Sinfónica da PSP e, no cortejo das Cavalhadas, vão estar bandas espanholas”, anunciou Anabela Abreu.

O presidente da Câmara Municipal de Viseu, que já tinha assumido que a autarquia apoia financeiramente em 45 mil euros as cavalhadas, “27,5 mil euros para Vildemoinhos e 17,7 para Teivas”, anunciou a festa das freguesias e as marchas populares.

Fernando Ruas adiantou que “as marchas dos santos populares voltam à rua na noite do dia 17 e este ano contam com cerca de 700 participantes em oito grupos, o que é de facto muita gente envolvida” no evento.

“A festa das freguesias acontece no Parque Aquilino Ribeiro, onde as freguesias do concelho estão representadas com o que de melhor se faz por lá e o que entendem que melhor representa a sua freguesia”, explicou.

Entre 17 e 24 de junho, as 25 freguesias marcam presença no parque para que, no entender de Fernando Ruas, “as pessoas possam conviver, partilhar ideias, ver o que as outras freguesias andam a fazer e intercambiar experiências”.

A vereadora da Cultura, Leonor Barata, aproveitou a ocasião para anunciar que o Museu Almeida Moreira, junto ao Rossio, “tem uma exposição totalmente dedicada aos santos populares e que vale a pena ser visitada”.