Candidaturas ao Prémio de Poesia Judith Teixeira abrem em agosto

As candidaturas ao Prémio de Poesia Judith Teixeira, criado em 2016 para homenagear a vida e obra da polémica poetisa nascida em Viseu, decorrem entre 08 de agosto e 02 de setembro, anunciou hoje a autarquia.

Promovido pela Câmara de Viseu, em parceria com a editora Edições Esgotadas, o prémio distingue bienalmente uma obra de poesia, original e inédita, escrita em língua portuguesa.

Segundo a autarquia, este prémio “visa homenagear, de forma simbólica, a vida e obra da escritora viseense Judith Teixeira” e também promover a criação cultural e literária e auxiliar os autores “no acesso à edição dos seus textos”.

O vencedor receberá um prémio de 2.500 euros, da responsabilidade da autarquia, e vê garantida a publicação da obra pela Edições Esgotadas.

Natural de Viseu, Judith Teixeira nasceu em 1880 e morreu em 1959.

Na altura em que foi criado o prémio, em maio de 2016, a então vereadora da Cultura, Odete Paiva, disse que “foi editada uma parte muito pequena” da obra de Judith Teixeira e, por isso, numa parceria com a Edições Esgotadas, o seu trabalho seria publicado e dado a conhecer.

A vereadora considerou que “Viseu tinha obrigação de fazer esta homenagem”, até porque a obra de Judith Teixeira “não está divulgada” em Portugal, sendo mais conhecida no Brasil, o que se deve ao facto de escrever de forma polémica para a época.

Logo em maio de 2016, a Edições Esgotadas lançou “Obras completas – Lírica”, que inclui uma biografia da poetisa na qual se pode ler que, apesar de esta ter começado a escrever na adolescência, o seu primeiro livro, intitulado “Decadência”, saiu em fevereiro de 1923 e foi apreendido pelo Governo Civil de Lisboa.

Seguiram-se “Castelo de Sombras” e “Nua”, tendo Marcelo Caetano [que se tornaria presidente do conselho de ministros em 1968] escrito no jornal “Ordem Nova” que “tinham aparecido nas livrarias uns livros obscenos”, apelidando Judith Teixeira de desavergonhada.

“Depois de enxovalhada publicamente, ridicularizada, apelidada de lésbica e caricaturada em revistas, defendeu-se e contra-atacou na conferência ‘De mim’, cujo texto se apressou a editar”, refere a biografia.

Enfrentando “tudo e todos”, sete meses depois publicou “Satânia” e, em 1928, o “Poemeto das Sombras”, na revista “Terras de Portugal”.

“Depois disso, totalmente esmagada pela moral vigente, esta poetisa vanguardista viu-se sentenciada de ‘morte artística’ pela mão de José Régio”, acrescenta.

Partilhar
Autor
Picture of Notícias de Viseu
Notícias de Viseu
Notícias de Viseu é um órgão de informação regionalista, independente, livre de influências políticas, económicas, religiosas ou quaisquer outras, votado à prática de uma informação cuidada, verdadeira e objetiva.

Novidades

1
Novo Parque de Lazer do Bairro da Ponte inaugurado no domingo em Lamego
2
image001 (8)
Fábrica de esfregões Favir em leilão público por mais de 1,1ME
3
Viseu
Aeroporto: Viseu aceita interesse nacional acima do regional e luta por ferrovia
4
IMG_0003
Câmara de Mangualde vai requalificar Parque Urbano Ana de Castro Osório

Artigos relacionados

Viseu Sé
2024-05-19 CerimoniaDoacao_Conferencia_HumbertoDelgado_imagem
polícia psp
Museu Terras de Besteiros 1
Entre em contacto

+351 232 087 050
*Chamada para rede fixa nacional

geral@noticiasdeviseu.com
publicidade@noticiasdeviseu.com

Avenida do Convento nº 1, Complexo Conventurispress, Orgens 3510-674 Viseu

Subscrever Newsletter
Procurar
Últimas notícias
Viseu Sé
Diocese de Viseu com menos 34 padres no ativo do que em 2015
2024-05-19 CerimoniaDoacao_Conferencia_HumbertoDelgado_imagem
ENTREVISTA: Fotografias da campanha de Humberto Delgado escondidas durante 50 anos descobertas em Lamego
polícia psp
Cinco pessoas detidas por suspeita de tráfico de droga na região de Viseu
Museu Terras de Besteiros 1
Museu Terras de Besteiros cria roteiros para alunos do segundo ciclo em Tondela