Candidato Fernando Figueiredo (IL) quer redução da carga fiscal em Viseu

715

O candidato à Câmara Municipal de Viseu pelo partido Iniciativa Liberal, Fernando Figueiredo, defendeu ontem a redução da carga fiscal no concelho, entre outras das 100 medidas que compõem o compromisso eleitoral.

“Na área da economia vamos procurar sempre uma redução nas taxas para aliviar o esforço fiscal das empresas e das famílias viseenses”, assumiu Fernando Figueiredo, em declarações à agência Lusa.

O candidato da Iniciativa Liberal (IL) à Câmara Municipal de Viseu adiantou que do seu programa eleitoral fazem parte “100 ideias para desenvolver, apesar de saber que são difíceis e muitas até podem parecer contraditórias, porque não se pode cortar na receita e depois querer fazer investimentos avultados noutras áreas”, reconheceu.

“Ou seja, é preciso conciliar as coisas. Sei que isso obriga a um grande rigor de gestão, mas temos de ser exigentes e é isso que procuramos ser no programa elaborado. Temos 100 ideias para contrapor àqueles que só têm cara e estão sem ideias”, argumentou.

Entre essas ideias, estão também “infraestruturas para o concelho que sejam diferenciadoras”, como o mercado municipal e o Viseu Arena, exemplificou, projetos em desenvolvimento na Câmara, que é liderada pelo PSD e que Fernando Figueiredo contesta a “lógica com que são pensadas”.

“Achei que era a altura de sair da crítica fácil, de trás do computador, e passar a fazer alguma coisa pelas gentes de Viseu. Era altura de me levantar do sofá e cá estou para dar o meu melhor momento”, defendeu.

Deputado na Assembleia Municipal entre 2013 e 2015, saiu a meio do mandato, “com muita pena”, explicou, mas foi “desafiado para um projeto em Timor Leste, muito interessante”, um país onde esteve a “comandar o batalhão que garantiu a seguranças nas primeiras eleições livres” e, por isso, admitiu, que “tinha de ir, porque ainda tinha esse cordão umbilical”.

“Fiquei com o bichinho e decidi voltar. Na altura fui pelo CDS-PP e conseguimos uma boa campanha, chegámos quase aos nove por cento. Após 20 anos, o partido andava sempre com um deputado e ficámos três e o Hélder Amaral conseguiu o lugar de vereador. Um excelente resultado que gostaria agora de repetir”, contou.

Fernando Figueiredo afirma-se independente, mas, enquanto cabeça de lista, assume que “não faz sentido não vestir camisola do partido e, por isso, muito em breve” vai filiar-se no IL, partido que, no distrito, conta com “cerca de 50 militantes e o maior núcleo está em Viseu, com 16”.

Ainda assim, o candidato assume que quer “alargar a sua influência, nomeadamente nas freguesias” e, para a sua lista, que está a ser trabalhada, quer contar com “pessoas do partido e independentes” e, neste momento, conta já com Bernardete Santos para a Assembleia Municipal.

“Queremos caras novas, com percursos profissionais interessantes, com boas ideias e que possam trazer futuro para o concelho, sem que se repitam erros e que possamos responder aos novos desafios com ideias novas”, admitiu.

Fernando Figueiredo, com 59 anos, casado e pai de três filhos, é coronel de Infantaria na reforma e licenciado em Ciências Socioeconómicas, Culturais e Militares e mestrando em Gestão de Recursos Humanos. Tem experiência na liderança associativa, inclusive, na sua criação, como foi o caso do Clube de Orientação de Viseu.

A Câmara Municipal de Viseu está nas mãos do PSD com Conceição Azevedo na liderança, cargo que assumiu após a morte, no início de abril, de António Almeida Henriques, que era presidente desde 2013, altura em que se candidatou pela primeira vez.

Atualmente tem seis vereadores sociais-democratas e três da oposição, do Partido Socialista (PS), que já apresentou o candidato João Azevedo para as eleições autárquicas previstas para o final deste ano e que também já contam com o candidato Pedro Calheiros, pelo partido CHEGA.