Câmara de Viseu preside à associação que tutela Orquestra Filarmonia das Beiras

397

A Câmara de Viseu vai presidir a direção da Associação Musical das Beiras, que tutela a Orquestra Filarmonia das Beiras, no triénio de 2020-2022, sucedendo à Universidade de Aveiro.

O anúncio foi feito ontem pela Câmara de Viseu, que será representada no cargo pelo seu vereador da Cultura e Património, Jorge Sobrado.

“Esta eleição é um importante reconhecimento dos nossos parceiros sobre a dinâmica e o lugar de referência que Viseu tem construído na cultura, na música e no património histórico”, considera o presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques.

A Associação Musical das Beiras é uma instituição cultural sem fins lucrativos que foi fundada em 1995 e que, em articulação com o Ministério da Cultura, através da Direção-Geral das Artes, e outras autarquias e instituições da Região Centro, apoia de forma regular a atividade da orquestra.

“Atuando essencialmente a nível regional, através da orquestra, tem procurado assumir um papel ativo na democratização e descentralização cultural, promovendo e desenvolvendo iniciativas direcionadas para a captação, formação e fidelização de públicos, assim como para o apoio à formação de jovens músicos”, explica.

Segundo a autarquia, a orquestra “é composta por 27 músicos de cordas, sopros e percussão, de diversas nacionalidades, sendo o seu historial pautado não só pela componente de atuação musical, dentro e fora de portas, mas também por uma forte vertente pedagógica, de ensino musical e formação de públicos”.

A sua direção artística está a cargo do maestro António Vassalo Lourenço.