Agentes culturais de Viseu podem reprogramar projetos financiados pelo município

296

A Câmara de Viseu decidiu hoje permitir que os agentes culturais reprogramem ou recalendarizem os seus projetos que tinham recebido financiamento municipal para este ano, devido aos constrangimentos provocados pela covid-19.

“Face às dificuldades geradas pela pandemia, que impediu a realização de muitos espetáculos, entendemos que era nosso dever abrir esta possibilidade aos agentes do setor”, justificou aos jornalistas a presidente da Câmara de Viseu, Conceição Azevedo, no final da reunião do executivo.

As propostas de reprogramação dos agentes culturais apoiados financeiramente pelo programa Viseu Cultura não podem, no entanto, “desvirtuar ou descaracterizar a matriz artística e a estratégia cultural formuladas na candidatura aprovada”, alertou.

Segundo Conceição Azevedo, as propostas de reprogramação ou recalendarização dos projetos devem ser apresentadas até 12 dias úteis após o termino do Estado de Emergência.

A autarca esclareceu ainda que “o reagendamento de espetáculos ou eventos em espaço público devem respeitar a agenda estabelecida pela programação de projetos aprovados no Viseu Cultura” e também na Feira de São Mateus.

Conceição Azevedo disse que, apesar do fim do Estado de Emergência, “ainda não há nada em concreto” relativamente à Feira de São Mateus, que se deverá realizar entre 05 de agosto e 12 de setembro.

Em meados de março, a Viseu Marca abriu as inscrições para os expositores da próxima edição do certame, apesar das incertezas provocadas pela pandemia.

“Já há algum trabalho feito, porque há coisas que antecipadamente têm de ser tratadas”, disse Conceição Azevedo aos jornalistas, acrescentando que reunirá brevemente com a Viseu Marca para se inteirar da situação.

A presidente da Câmara lembrou que, em outubro de 2020, a autarquia definiu como prioridade assegurar a continuidade da dinâmica cultural da cidade.

“Conscientes das dificuldades que se avizinhavam, quisemos promover a retoma consistente e continuada das atividades culturais e criativas locais, através do lançamento do programa Viseu Cultura 2021”, recordou, acrescentando que, já este ano, foi também lançado o Viseu Cultura +, “um subprograma municipal de resiliência cultural à crise pandémica, que visa apoiar a manutenção da atividade artística e cultural no período do confinamento e pós-confinamento”.

Na reunião de hoje, foi também aprovado o alargamento do programa Música Ativa a mais três instituições (Centro Social e Cultural de Orgens, Lar de Bigas e Confraria de Santa Eulália), passando a abranger 400 idosos.

“A Música Ativa para Seniores é um dos programas de que mais nos orgulhamos. Promove novas descobertas e aprendizagens, proporciona uma vida mais dinâmica e harmoniosa e estimula a ocupação adequada do tempo”, frisou Conceição Azevedo.

Este projeto teve início em maio de 2019, com 150 participantes.