“O Grupo de Trabalho do distrito de Viseu de Defesa dos Animais do Bloco de Esquerda preocupado com a falta de esterilizações no distrito

14

Os dados relativos à utilização de verbas disponibilizadas pelo Governo no ano transato, para a esterilização de animais de companhia pelas autarquias e CROAs merecem desde já algumas considerações e preocupações:

1- Depois de diversos municípios terem invocado falta de recursos para proceder à esterilização de animais, também municípios do distrito de Viseu invocaram esta dificuldade, estranha-se que dos 500 mil euros disponibilizados pelo governo para a esterilização a nível nacional,verba já de si considerada manifestamente insuficiente por diversas associações e partidos políticos que atuam no terreno,só tenham sido utilizados 287.080 pelas autarquias e CROAs e destes, só 18.345 euros foram gastos no distrito de Viseu.

2- Apenas 89 entidades municipais ou intermunicipais solicitaram apoio. No que se refere aos montantes utilizados, a maioria das entidades não esgotou as dotações a que teria direito, ou seja até 15.000 euros por município e 30.000 para CROAs intermunicipais, ficando muito aquém dessa verba.
No distrito de Viseu só 4 autarquias e 1 entidade intermunicipal solicitaram estas verbas sendo os municípios de Viseu (15 mil euros), Tondela (1.015 euros), Carregal do Sal (1.205 euros), Tarouca (1.125 euros) e o canil intermunicipal do Sátão com 1.015 euros.
Cabe relembrar que o canil intermunicipal do Sátão só começou a esterilizar animais depois da visita do Grupo de Trabalho às instalações, em Julho de 2018, onde denunciou que esta entidade não estava a esterilizar os animais que fossem para adopção não dando cumprimento a lei.
Em Carregal do Sal, também se vê sinais da autarquia de preocupação sobre este tema devido ao trabalho que o Bloco de Esquerda tem desenvolvido no terreno.

O Bloco de Esquerda do distrito de Viseu tem acompanhado de perto a situação dos animais errantes e encetado contatos com diversas entidades, constatando a urgência de se proceder à esterilização e adoção de animais de estimação, única forma de circunscrever o problema limitando drasticamente a sua abrangência.
Vemos com grande preocupação o aparente desinvestimento nesta área, evidenciado por muitas autarquias que não utilizaram as verbas disponíveis para a esterilização de animais errantes. Apelamos a que os municípios e CROAs intermunicipais se empenhem nesta campanha, apostando em 2019 na esterilização, a bem dos animais e das pessoas.

O Grupo de Trabalho distrital de Defesa dos Animais do Bloco de Esquerda”