‘O Futuro é Amanhã’ é mote para atividades de mais de quatro mil estudantes

18

A Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, dando seguimento à estratégia definida no Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas (PIAAC Viseu Dão Lafões), definiu um conjunto de ações de comunicação institucional e de sensibilização sobre os riscos associados às alterações climáticas.

O projeto – ‘O Futuro é Amanhã’ –  já está a ser trabalhado conjuntamente com todas escolas da região e vai ser lançado publicamente, junto da comunidade educativa, a 14 de outubro. Serão envolvidas cerca de 138 turmas e pretende-se abranger, de forma direta, mais de 4.000 alunos do 1.º, 2.º e 3.º ciclos de escolaridade. 

“Queremos motivar os professores e os alunos a participarem ativamente no processo de reflexão, debate e divulgação da problemática das alterações climáticas, de modo a que possam adotar atitudes e comportamentos, no quotidiano, que atenuem e mitiguem os impactos negativos das alterações climáticas no território Viseu Dão Lafões”, refere Nuno Martinho, Secretário Executivo da CIM Viseu Dão Lafões.

Para o conseguir, Nuno Martinho considera que é necessário consolidar e divulgar os resultados constantes no PIAAC Viseu Dão Lafões e mobilizar e captar a comunidade escolar para o processo e para o tema das alterações climáticas.

O projeto “O Futuro é Amanhã”, que agora se vai apresentar à comunidade escolar, é dirigido aos estudantes das escolas dos 14 municípios que compõem a Comunidade Intermunicipal, professores e famílias, e prolonga-se até ao final do presente ano letivo, com momentos e atividades diversificadas. O projeto tem uma mascote, chamada Átmos, que irá interagir com os alunos nas diversas atividades a realizar.

O Secretário Executivo, Nuno Martinho, adianta que algumas das estratégias definidas neste projeto para alcançar os objetivos a que a CIM Viseu Dão Lafões se propõe incluem “apresentações técnicas, workshops para professores, jogos e momentos lúdico-didáticos de sensibilização e comunicação e ainda exposições de caráter municipal e intermunicipal”.

Nuno Martinho indica que “é essencial a participação dos professores e alunos das turmas dos 1.º, 2.º e 3.º ciclos selecionadas em cada escola para esta iniciativa”, de forma a “alargar a participação a outros colegas e membros da comunidade escolar” e ainda realça que é decisivo preparar as direções de agrupamentos, departamentos e todo o corpo docente para a dinamização de novas atividades com outros alunos que não estejam diretamente envolvidos no projeto.