Ano letivo 2019/2020 – POLITÉCNICO DE VISEU COM 1.960 NOVOS ESTUDANTES

16

O Politécnico de Viseu registou um número de 788 candidatos colocados na 1.ª fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior (CNAES), dos quais 533 em 1.ª opção (68%). Apesar da ligeira redução de colocados nesta fase em relação a 2018, menos 12 alunos, a taxa de ocupação mantém-se semelhante, na ordem dos 60%. De entre os 32 cursos colocados a concurso, num total de 1.314 vagas, 11 ficaram com a totalidade dos lugares disponibilizados preenchidos: Artes Plásticas, Comunicação Social, Contabilidade, Desporto e Atividade Física, Enfermagem, Engenharia Informática, Gestão de Empresas, Marketing, Publicidade e Relações Públicas, Serviço Social e Turismo. Para a 2.ª fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, que está a decorrer até ao próximo dia 20 de setembro, o Politécnico de Viseu disponibiliza 531 vagas. A divulgação dos resultados está marcada para o dia 26 do mesmo mês.

 

A estes candidatos provenientes do CNAES, acrescem os novos estudantes colocados nos concursos especiais e locais, regimes de mudança par instituição/curso e reingresso, regimes especiais de acesso, bem como os alunos dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) e Mestrado.

A Presidência do Politécnico de Viseu, e quando ainda faltam realizar as 2.ª e 3.ª fases do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior e as segundas fases dos Concursos Especiais e dos Regimes de Mudança, aponta para um total de 1.960 novos estudantes no conjunto das formações que promove: 1.340 (Licenciaturas), 400 (CTeSP) e 220 (Mestrados). Um aumento global de novos estudantes face aos anos anteriores: 1.833 (2018/2019) e 1.751 (2017/2018). O presidente do IPV, professor João Monney Paiva, começou por saudar “os 788 jovens que escolheram o Politécnico de Viseu para frequentarem uma licenciatura. Vão juntar-se aos alunos de Mestrado e de cursos Técnicos Superiores que, no final, somarão cerca de 2.000 estudantes que, ao estudarem, vão querer saber mais. Vão também relacionar-se com os seus colegas de outros países europeus, de outros continentes, de outros âmbitos, de outras vozes, de outras culturas. Viseu e a sua região são uma excelente opção”.

 

O número crescente de alunos internacionais, cerca de 150 atualmente, a maior parte proveniente do Brasil, é um dos fatores intimamente relacionados com o aumento de novos estudantes do IPV. A intensificação da mobilidade de estudantes e investigadores estrangeiros é uma das consequências desta situação, com destaque para a duplicação dos estudantes de nacionalidade estrangeira desde o início da década.

Esta tendência de internacionalização do ensino superior nacional também se sente no Politécnico de Viseu, onde a captação de alunos internacionais nos últimos anos, em particular nos países da CPLP, tem acompanhado a tendência de crescimento que também acontece a nível nacional.

No intuito de reforçar este eixo estratégico da instituição, a internacionalização, uma comitiva do IPV, liderada pelo presidente da instituição, encontra-se no Brasil em visita de trabalho, com um agenda preenchida que inclui a assinatura de protocolos e reuniões com diversas universidades brasileiras.

Para o professor João Monney Paiva, esta visita a instituições de ensino superior do Brasil visa “o estabelecimento de parcerias com os Institutos Federais, durante o REDITEC 2019, a assinatura de um convénio de mobilidade de professores e alunos com a Universidade do Estado do Amazonas, retribuindo a visita que os seus dirigentes fizeram ao IPV no passado mês de janeiro, bem como concretizar uma graduação conjunta na área das tecnologias da madeira”.

 

Simultaneamente, uma outra delegação, liderada pelo vice-presidente, engenheiro Pedro Rodrigues, está a participar em várias feiras e salões de estudantes nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba, integrada na missão conjunta “Portugal Polytechnics”, no sentido de divulgar a oferta formativa do IPV para o próximo ano letivo 2020/2021.